Huawei Mate 20 Pro: um smartphone com praticamente tudo. E não está sozinho…

Huawei Mate 20 Pro: um smartphone com praticamente tudo. E não está sozinho…

O título não é enganador: o Huawei Mate 20 Pro que a marca acaba de apresentar oficialmente em Londres é um smartphone com praticamente tudo o que procuramos num terminal topo de gama.

E é igualmente verdade que não chega sozinho: a Huawei apresentou de uma “assentada” seis grandes novidades: o já referido Huawei Mate 20 Pro, a versão “normal” do Mate 20, o Porsche Design Mate 20 RS, o muito esperado Mate 20 X e ainda dois wearables, a Band 3 Pro e o Watch GT, um smartwatch que estará em oferta com a pré-reserva do Mate 20 Pro!

Comecemos então pelos aspetos menos técnicos do Huawei Mate 20 Pro, pelos quais mais esperávamos… O novo smartphone traz finalmente o tão aguardado sensor de impressões digitais situado debaixo do ecrã tátil, mais concretamente na parte inferior do painel.

Por falar nisso, o ecrã é porventura o maior alguma vez instalado num smartphone da fabricante chinesa: diagonal de 6,39 polegadas, formato arredondado nas extremidades, AMOLED, resolução de 2.440 x 1.080 píxeis e o inevitável notch no topo (para alojar a câmara frontal de 24 MP, entre outros elementos).

Essa câmara é o que garante o sistema de reconhecimento facial, fazendo equipa nesse campo com outro dos grandes destaques neste novo Huawei Mate 20 Pro: o sistema de câmara traseira triplo, desta vez com uma “arrumação quadrada”, como se pode ver pela imagem acima, e que a marca apelida de Matrix.

O conjunto de sensores é o mesmo que equipa o P20 Pro que tão bem conhecemos, mas neste caso temos várias melhorias. A começar pela divisão de resoluções e “tarefas”, por assim dizer.

O sensor principal tem 40 MP, abertura de f/1.8 e sistema Light Fusion assistido pela inteligência artificial do terminal, que assenta em dois núcleos neurais.

Já a lente de 20 MP é uma teleobjetiva com abertura de f/2.2, enquanto a lente de 8 MP é uma grande-angular de f/2.4.

Podemos esperar deste terminal fotos noturnas em bom nível – sendo que o modo Nightshot funciona igualmente na gravação de vídeo – e muitos modos adicionais de fotografia e vídeo.

Fotos debaixo de água, efeitos tipo Instagram em tempo real durante a gravação de vídeo, HDR 10, macros a distância de 2,5 cm…

Mas há ainda outro elemento muito esperado, que é capacidade para carregamento sem fios de 15 W, algo que surge reforçado até com a possibilidade de recarregarmos outros equipamentos com um simples contacto direto (usando o smartphone como uma espécie de base de carga).

O “recheio” do Huawei Mate 20 Pro

Indo um pouco mais ao fundo das especificações técnicas:

  • Processador Kirin 980 (2x 2.6GHZ,2 X 1.92 GHZ, 4X 1.8 GHz);
  • GPU ARM Mali-G72;
  • 6 GB de memória RAM;
  • Armazenamento de 128 GB;
  • Suporte para cartões NM, um formato proprietário da marca que pode ir até aos 256 GB;
  • Bateria de 4.200 mAh com função de carga rápida de 40 W (70% de capacidade em meia hora, diz a marca);
  • Certificação IP68 para submersão até 1,5 metros de profundidade (durante meia hora);
  • Android 9.0 Pie com a nova EMUI9.0.

Mas há muito mais na lista de características deste novo Huawei Mate 20 Pro (1.049 euros), isso é certo, e ainda nem referimos que este topo de gama de faz acompanhar do “irmão” Huawei Mate 20, que tem um ecrã de 6,5 polegadas e uma estrutura ligeiramente maior que a versão Pro. Este modelo conta também com o sistema Matrix na câmara principal tripla: 16 + 12 + 8 MP. Custa 799 e 849 euros para as versões 4 + 128 GB e 6 + 128 GB, respetivamente.

É por isso que não podem perder a próxima edição da revista Gadget, por lá teremos todos os pormenores destes novos smartphones e ainda um Ultra Teste com ênfase na performance das câmaras, acima do resto.

Mas há ainda mais surpresas na linha Huawei Mate 20… Surge agora também o Porsche Design Huawei Mate 20 RS, com a exclusividade de design que já conhecemos desta parceria e apontamentos em pele na traseira do smartphone.

Por dentro, a aposta está no desempenho, segundo diz a marca, com muito em comum com o Mate 20 Pro:

  • CPU Kirin 980;
  • 8 GB de memória RAM;
  • 256 ou 512 GB de armazenamento.

Os preços são de 1.695 e 2.095 euros!

Huawei Mate 20 X?!

Sim, é realidade. E dirigida aos gamers e utilizadores profissonais, que procuram produtividade, para fazer face aos terminais do género que a concorrência tem já à venda.

O Mate 20 X é um smartphone com muitas características em comum com os outros modelos da gama. Custa 899 euros. Mas há dois pormenores deliciosos: o ecrã OLED de 7,2 polegadas e o acessório GamePad, que coloca o terminal ao nível de uma consola como a Nintendo Switch! Entre outros…

  • Suporte para a nova Huawei M-Pen;
  • Processador Kirin 980;
  • Bateria de 5.000 mAh;
  • 6 GB de memória RAM;
  • Armazenamento de 128 GB.

Mais um modelo que não vamos deixar de destacar na nossa próxima edição, claro! Mas há mais…

A Huawei anunciou ainda dois novos wearables: o Huawei Watch GT e a Huawei Band 3 Pro.

O relógio inteligente mostra-se com ecrã de 1,39 polegadas e uma autonomia anunciada de duas semanas. Custa 199 euros na versão Sport e 249 euros na versão Clássica. Já a Band 3 Pro custa 99 euros.

Não percam a próxima edição da Gadget, pois todos os pormenores e principais impressões sobre todos estes gadgets constituirão um especial que vale a pena ler…

Até lá, na edição que está nas bancas encontram o teste ao Huawei Mate 20 Lite, a opção de gama média da família Mate 20, a um preço bastante acessível!

Nota importante: entre todos estes gadgets, somente três estarão disponíveis no mercado português já este mês: o Huawei Mate 20 Pro, o Watch T e a Band 3 Pro. Os restantes três smartphones aguardam ainda confirmação face a uma eventual presença no mercado português.

Artigos relacionados

1920: O relógio intemporal da Tous Watches

A Tous Watches apresentou o relógio intemporal “1920”, criando uma coleção de inspiração clássica com um estilo retro.

WristWhirl: Como usar o pulso como joystick num protótipo de smartwatch

Um relógio diferente que funciona como um joystick e é manobrado, ao contrário do que é habitual, só com uma mão, através de gestos com o pulso.

Jardins e hortas sem ervas daninhas com o robot Tertill | COM VÍDEO

O inventor dos robots-aspiradores Roomba levou o seu conceito para fora de casa e aplicou-o ao seu jardim, criando assim o pequeno robot Tertill que nos ajuda a livrar das ervas daninhas.