CTT realizou testes para entrega de correio por drone

CTT realizou testes para entrega de correio por drone

Os CTT – Correios de Portugal realizou testes para entrega de correio por drone durante três dias. Uma iniciativa organizada pela startup Connect Robotics que foi feita em cerca de sete minutos, num percurso de três km.

O ponto de partida da operação foi o Centro de Distribuições dos CTT e o ponto de chegada a sede da empresa, que se localiza no Parque das Nações. O voo teve uma altitude de apenas 30 metros, uma vez que se tratou de uma área controlada pelo Aeroporto Humberto Delgado.

“O nosso serviço é, sem dúvida, uma mais valia para a distribuição de cartas ou encomendas. Um drone é mais rápido, mais silencioso, menos dispendioso e ninguém tem de perder tempo para se deslocar. Acreditamos que este será o método mais utilizado para a distribuição de pequena mercadoria, no futuro”, disse Eduardo Mendes, CEO da Connect Robotics.

A Marmita Voadora, projeto que entregou refeições ao último habitante da aldeia de Podentinhos, também já tinha decorrido, pelo que agora o potencial e a viabilidade da tecnologia estão já em análise pelos decisores da empresa que distribui correspondência por todo o país.

Já tem a edição de maio da revista Gadget & PC? Está nas bancas, com novidades de vários gadgets e não se esqueça que a edição de junho está a caminho!

Artigos relacionados

Samsung Galaxy Tab Active

Em ambientes difíceis A pensar nos profissionais que desenvolvem a sua atividade em exteriores, a Samsung lançou um tablet que reúne segurança, resistência, poupança de energia, tecnologias como NFC e

Scollar Mini: o colar inteligente para o seu animal de companhia

O Scollar Mini é utilizado como uma coleira tradicional e funciona através de uma aplicação, que é automaticamente conectada com o seu telemóvel.

Gadgets outdoor – Episódio 2 | Melhores pescarias com o Deeper Sonar!

É pescador? Então o Deeper é para si. Este é um gadget que se apresenta sob diversos formatos, um sonar que pode instalar na ponta do fio da sua cana de pesca com o objetivo de “digitalizar a água”.